BRASKEM: Sindicato realiza pesquisa para ouvir trabalhadores na pandemia


Saudações Sindicais

Agradecemos a disposição dos trabalhadores que responderam à convocação para a Pesquisa de Opinião. O resultado vai orientar a direção do Sindiquímica a negociar com a empresa os desejos da categoria.
Vale lembrar que ainda vivemos uma pandemia e temos que nos direcionar baseados na ciência, nas autoridades sanitárias e no compromisso de cada um, obedecendo as regras sociais como higiene, o máximo de afastamento social permitido, e na consciência para continuarmos o achatamento da curva de contágio.
Estes últimos meses foi importante para que toda a comunidade científica e sociedade pudessem entender a dinâmica da doença e os tratamentos que estão ao alcance, até encontrar uma saída concreta que é a vacina.
Obtivemos 245 respostas.
A primeira pergunta demonstra as unidades que cada trabalhador está inserido.
Aromáticos 1: 31 (12,7%)
Aromáticos 2: 31 (12,7%)
Olefinas 1: 20 (8,2%)
Olefinas 2: 29 (11,8%)
UTE: 30 (12,2%)
PE 1: 3 (1,2%)
PE 2: 24 (9,8%)
PE 3: 37(15,1%)
PVC: 25 (10,2%)
TERMINAL; 5 (2%)
SSMA: 1 (0,4%)
OUTROS: 9 (3,7%)

Na segunda pergunta, 63,7% das respostas disseram que SIM, podemos voltar ao turno normal, adotando práticas e comportamentos seguros de convívio social para o enfretamento da pandemia. Enquanto 33,1% responderam que NÃO, 3,3% Não Sabem a resposta adequada para a situação.
Na terceira pergunta, caso não seja possível o retorno, baseado nas orientações de especialistas e técnicos da área de Segurança e Medicina, qual seria a tabela mais apropriada para o momento? 58% das respostas são pela manutenção da tabela atual; Enquanto 26,1% trocariam por uma tabela de rodízio de 2x2x2x2x2 de 12h por 12h. Já a tabela de 12×12 com escala de 3×2 com backup foi a escolha preferida por 3,7%. Ficando os 12,2% restantes com outras opções.
É importante destacar que, caso a negociação mantenha a jornada especial, será convocada uma Assembleia dos trabalhadores para escolha de qual tabela mais se adequa à situação atual.
Na penúltima questão, perguntamos a percepção quanto ao nível de stress e cansaço por conta da atual situação, cujo 1 é pouco cansado e 5 é muito cansado.
4,9 % disseram pouco cansados;
No nível 2, 3 e 4 estão com 11,8% ,31,4%, 34,3% respectivamente.
17,6% dos trabalhadores se sentem muito cansados.
Na última pergunta, 80,4% consideraram que a empresa tem adotado todas as medidas de segurança, visando controlar a contaminação por Covid-19. Por outro lado, 1,2 % dos que responderam avaliam que não e 18,4% consideram que pode melhorar.
Estamos indo para uma negociação com maior grau de clareza das decisões da categoria. Voltamos a agradecer às respostas dadas e lembrar que a pandemia continua, mas agora temos mais informações sobre os seus riscos e formas de contaminação.

Práticas seguras ainda são o único remédio para prevenir. Grandes embates com a empresa continuam porque os interesses de classe permanecem, mas temos um objetivo maior que é a manutenção da saúde e das vidas de todos. O diálogo ainda é o maior meio de resolver os interesses das partes.
#saude, #força #vaipassar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *