Assédio é Crime. Denuncie!

 

Mais um auxiliar direto do presidente Bolsonaro foi envolvido em graves denúncias. O ex-presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, que acompanhava o presidente em viagens e solenidades pelo país, pediu demissão após ser acusado por funcionários do banco de assédio moral e sexual. O Ministério Público Federal e o Tribunal de Contas da União iniciaram as investigações sobre o comportamento criminoso do ex-gestor que submetia os trabalhadores, especialmente as mulheres, a humilhações e constrangimentos, inclusive de cunho sexual, no ambiente de trabalho. Entre os episódios relatados estão toques íntimos não autorizados e convites incompatíveis com a situação de trabalho.

De acordo com a Cartilha do Ministério Público Federal, “o assédio moral caracteriza-se pela exposição dos trabalhadores a situações humilhantes e constrangedoras, de forma repetitiva e prolongada no tempo, no exercício de suas funções”. Trata-se de toda e qualquer conduta abusiva, que se manifesta por comportamentos, palavras, atos, gestos ou escritos que possam trazer danos à personalidade, à dignidade ou à integridade física ou psíquica de uma pessoa, pôr em perigo o seu emprego ou degradar o ambiente de trabalho.

Já o assédio sexual no ambiente de trabalho consiste “em constranger colegas por meio de cantadas e insinuações constantes, com o objetivo de obter vantagens ou favorecimento sexual”. Ocorre de forma clara ou sutil, falada ou apenas insinuada, escrita ou explicitada em gestos, coação ou chantagem. O assédio sexual atinge mais frequentemente as mulheres trabalhadoras.

Todo trabalhador que se sentir vítima de um assediador ou presenciar seus atos deve denunciar imediatamente. O Sindiquímica acolhe e encaminha essas denúncias, dando todo suporte jurídico para os trabalhadores e as trabalhadoras.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *