Clima tenso na ALBA. Servidores ocuparam o Plenário para impedir votação

Clima tenso na ALBA. Servidores ocuparam o Plenário para impedir votação

Continua tenso o clima na Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA) na manhã desta quarta-feira (12). Segundo informações, o presidente da casa Ângelo Coronel (PSD) chamou a Polícia Militar e houve empurra-empurra. Ontem, a sessão ordinária foi suspensa pelo presidente, após a ocupação do plenário Orlando Spínola por servidores estaduais. Uma porta de vidro foi quebrada e houve tumulto na entrada dos manifestantes durante o ato de protesto. A decisão pelo encerramento da sessão foi tomada para evitar qualquer tipo de risco aos servidores que invadiram o local onde ocorreria a votação

A manifestação dos servidores públicos tinha como objetivo impedir  a votação dos projetos encaminhados pelo governador Rui Costa.  Indignados com a inflexibilidade do governador, que não aceitou dialogar e muito menos negociar os projetos que tratam do Funprev, Planserv e empresas públicas, centenas de servidores presentes na Assembleia Legislativa em mais um dia de mobilização, ocuparam o plenário da Casa.

O presidente convocou sessão extraordinária para ser iniciada a partir das 9h45 desta quarta-feira (12), por despacho publicado neste Diário Oficial. O local da sessão pode ser alternativamente no Auditório Jornalista Jorge Calmon, caso o Plenário Orlando Spínola não esteja desocupado pelos manifestantes. O presidente ressalta que é preciso preservar o direito ao protesto, assim como não se pode ignorar os direitos dos legisladores de realizarem os seus trabalhos.

A ordem do dia que estava estabelecida para esta terça-feira foi mantida pelo presidente. Assim, os quatro projetos de lei do Governo do Estado serão apreciados, em regime de urgência, na sessão extraordinária. Entre eles, o PL 22.975/2018, que promove reforma administrativa com extinção de órgãos, a exemplo da Conder, Sudic e Centro Industrial de Subaé (CIS), e de cargos comissionados na administração direta, e o PL 22.971/2018, que altera e cria taxas no setor de transporte e modifica a contribuição previdenciária do servidor público.

(Com informações da APLB-sindicato e Assembleia Legislativa)

e-max.it: your social media marketing partner