Categoria diz não à proposta patronal sem ganho real

Categoria diz não à proposta patronal sem ganho real

A resposta do Sinpeq (sindicato patronal) decepcionou o Sindiquímica que esperava mais avanços na rodada de negociação ocorrida na quarta-feira (05) na Federação das Indústrias (FIeb), em Salvador. Na negociação anterior (31), o patronato solicitou mais prazo para dar resposta à contraproposta apresentada pelo sindicato, mas continuamos no mesmo patamar.

A proposta do Sinpeq é criar agendas específicas para discutir saúde e segurança e o HRA (cláusula 4ª, parágrafo 3º) e renovar as cláusulas da CCT. Para as questões econômicas a proposta é reajustar os salários de acordo com o INPC  sem ganho real. O sindicato lamentou a posição do patronato que ignora o ciclo de alta vivida pela petroquímica nacional com elevação dos preços dos produtos petroquímicos de uso industrial, o que garante a lucratividade das empresas. Então não existe justificativa das empresas para negar ganho real. Os trabalhadores sofrem com a perda do poder aquisitivo devido aos aumentos dos alimentos, reajustes acima da inflação das escolas particulares dos filhos e os planos de saúde.

É bom ressaltar que a categoria está mobilizada. Nas últimas negociações, os trabalhadores criaram a estratégia de enquanto se negocia, em Salvador, algumas fábricas permanecem com as atividades paralisadas. Nesta quarta-feira foram os trabalhadores da Elekeiroz (Camaçari) e Dow Química (Candeias) que ficaram paradas, aguardando o resultado da negociação.

O Sindiquímica está iniciando as assembleias para colocar em apreciação a contraproposta patronal, mas desde já defende sua rejeição. Vamos todos nos mobilizar para conquistar ganho real!

Leia aqui a ata da negociação

 

 

e-max.it: your social media marketing partner