Bahiagás: trabalhadores devem reagir antes que seja tarde

Bahiagás: trabalhadores devem reagir antes que seja tarde

Estamos em uma encruzilhada e precisamos reagir agora antes que seja tarde. A rodada de negociação ocorrida na sexta-feira (18) com os representantes da Bahiagás tratou dos pontos divergentes que impedem o fechamento do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT). Para o sindicato, o piso da PLR, o Adicional por Tempo de Serviço (ATS) e a fixação de metas e critérios para o pagamento da PLR são itens essenciais para a saída do impasse. Outras pendências são secundárias e podem ser administradas. No entanto, a Companhia mantém a proposta de acabar com o piso da PLR e o ATS. Na tentativa de achar uma saída, o Sindiquímica propôs manter o atual Acordo Coletivo e criar um grupo de trabalho que reúna representantes da empresa, dos trabalhadores e do sindicato para discutir os reflexos do piso da PLR e do ATS na dinâmica empresarial. Mas a Bahiagás rejeitou a proposta. Está muito difícil negociar nessas condições de radicalização da negociação. Por sua vez, os trabalhadores também não estão dispostos a aceitar perda salarial e retirada de direitos. E não devem. Na sexta-feira (25), teremos outra rodada de negociação quando os representantes da empresa deverão apresentar a proposta “de compensação”. O sindicato está curioso por saber de que forma a Bahiagás pretende “compensar” o que deseja retirar da CCT. Vamos ouvir a proposta e depois encaminhá-la aos trabalhadores para discussão.

Leia ata da reunião de negociação

 

e-max.it: your social media marketing partner