COMUNICADO

COMUNICADO

Diante da crise gerada pela infecção em massa do novo coronavírus, declarada como uma pandemia pela Organização Mundial de Saúde, em caráter de urgência, a direção do Sindiquímica-Bahia se reuniu com representantes da Braskem e da Deten, nesta sexta-feira, 20/03, na sede do Sindicato, em Salvador, para debater e buscar soluções que o momento exige. As pautas principais foram:- a Saúde dos trabalhadores;- a Segurança das unidades e garantia da produção.


A Indústria Petroquímica da Bahia não vai parar porque suas atividades são essenciais, inclusive para a produção de insumos que, em meio à crise, tornam-se ainda mais necessários, como a matéria-prima para a cadeia da indústria farmacêutica, de embalagens, fertilizantes, alimentação, inclusive a cadeira de fornecimento de energia elétrica para todo o sistema industrial. As medidas que serão adotadas visam garantir a segurança dos trabalhadores, reduzindo o máximo possível o número de profissionais expostos. 


Assim, após amplo debate, foi decidido que os turnos ininterruptos passarão a trabalhar com quatro grupos em tabela 3x2x2. Mantendo sempre um grupo em casa. Essa medida terá duração de 90 dias. Enquanto durar este período, ficam garantidas a estabilidade do emprego e a manutenção da remuneração integral dos salários dos trabalhadores.


O Sindiquímica-Bahia busca garantir a comunicação entre as partes, visando dirimir quaisquer dúvidas durante este período.
Devido ao decreto de situação de emergência do Estado da Bahia, que impede aglomerações de pessoas, o Sindiquímica-Ba está impedido de reunir os trabalhadores para debater a situação. Portanto, utilizaremos os meios de comunicação e as redes sociais para manter a categoria informada. O momento exige sacrifícios e maturidade para superarmos a atual situação.


As diferenças continuam, mas o diálogo, união e solidariedade são essenciais para a volta da normalidade social.   


Salvador, 20 de março de 2020       
Sindiquímica-Bahia

e-max.it: your social media marketing partner